Ronda de Licitações de 2021 da ANPG vê Majors a reforçar investimento no sector 

Connect with us:

Inglês

A Agência Nacional do Petróleo, Gás e Biocombustíveis (ANPG) de Angola realizou uma cerimónia de abertura de propostas para a sua última ronda de licitações para blocos offshore nas bacias offshore do Baixo Congo e Kwanza, na terça-feira, 5 de abril de 2022, em Luanda, num concurso aberto apenas a empresas convidadas. Na presença de Sua Excelência Diamantino Azevedo, Ministro dos Recursos Minerais, Petróleo e Gás, e José Barroso, Secretário de Estado do Petróleo e Gás, a ronda de blocos offshore despertou o interesse de várias grandes empresas globais de petróleo, com três empresas a apresentar propostas para dois dos blocos na Bacia do Baixo Congo.

Representando parte da terceira ronda de licitações lançada pela ANPG em 25 de fevereiro de 2022, o lançamento contou com propostas da italiana ENI, da francesa TotalEnergies e da norueguesa Equinor, com “potenciais compromissos iniciais de investimento que devem chegar a US $ 58,6 milhões para garantir a execução do programa mínimo de trabalhos”, de acordo com um comunicado da ANPG.

Durante o lançamento, a Eni Angola apresentou uma proposta para o Bloco 31/21, em que a Major italiana entraria como operadora com 50% de participação em consórcio com a Equinor. A proposta inclui um bónus de US $ 5 milhões com um pagamento único 30 dias após a primeira produção no bloco.

Por seu lado, a TotalEnergies apresentou uma proposta para o Bloco 16/21. A proposta veria a empresa francesa com uma participação de 100% com o bónus pago de acordo com o volume acumulado de produção numa faixa de 0,10 cêntimos por barril – se a produção acumulada for inferior a 200 milhões de barris – com o potencial de atingir 0,30 cêntimos se a produção for igual ou superior a 400 milhões de barris.

“A retomada das licitações em Angola, após o seu longo encerramento, é algo que com o tempo contribuirá de facto para a dinamização da indústria e da economia, uma vez que sem investimento não haverá novas descobertas nem aumento da produção. O facto de estarmos aqui reunidos para assistir à abertura pública de propostas para a terceira ronda de licitações é já uma vitória para toda esta equipa que se tem empenhado em executar a estratégia nacional delineada para o sector”, afirmou o ministro Azevedo durante seu o discurso de abertura no lançamento, acrescentando que “vamos continuar a trabalhar com a dinâmica da indústria extractiva mundial para podermos obter resultados concretos do potencial de recursos naturais de que dispomos neste importante sector da nossa economia, explorando mais e produzindo mais”.

O Presidente da ANPG, Paulino Jerónimo, afirmou que, “Saber que as bacias em licitação estão estudadas, que os investidores o puderam comprovar, que o nosso ambiente de negócios se recomenda – e que os investidores o reconhecem – e que a ANPG é um garante de diálogo e de trabalho contínuo com os operadores e com os parceiros que confiam em Angola.”

Os blocos restantes que não receberam propostas estarão disponíveis para adjudicação ao abrigo do Decreto Presidencial n.º 249/21.

Other Reads

Other Reads

João Marques

João Marques

João is an International Conference Director at ECP. He holds an Erasmus Mundus Master’s degree in international journalism with a specialism in War and Conflict. He has worked as a journalist, commentator and analyst for a multitude of international publications on issues of energy, policy and economics. He co-authored the book Big Barrels: African Oil and Gas and the Quest for Prosperity, an Amazon bestseller that received great praise from the industry and the press.

More from the Author

Sign up for latest news and event info

Copyright © 2022 Energy Capital & Power. Privacy Policy · Terms of Use