Costa do Marfim: Principais Projetos a Observar

Connect with us:

Trouvez la version anglaise ici

A Costa do Marfim está a acelerar projetos de desenvolvimento de infraestruturas energéticas numa tentativa de diversificar a sua matriz energética, expandir a sua rede elétrica, atrair investimento sustentável e impulsionar o crescimento socioeconómico.

Descoberta de Petróleo e Gás da Eni

Espera-se que a última descoberta de petróleo e gás da Eni nas águas offshore da Costa do Marfim venha a aumentar significativamente a produção interna de petróleo e gás num futuro próximo. Tendo sido feita a descoberta em Setembro de 2021, a Eni declarou que os testes e as amostras de fluidos deram resultados favoráveis e que a empresa lançou estudos para um “desenvolvimento acelerado” do campo localizado no bloco CI-101. As estimativas situam as reservas do campo entre 1,5 e 2 mil milhões de barris de petróleo e cerca de 1,8 a 2,4 triliões de pés cúbicos de gás.

Central Biovea Energie Biomass

A Costa do Marfim está preparada para construir a primeira central elétrica de biomassa de África a 100 km a leste de Abidjan. O projeto será executado e depois operado pela Biovea Energie, uma empresa incorporada legalmente na Costa do Marfim pertencente à EDF, Meridiam e Biokola, que será financiada em parte pelo consórcio acima mencionado com cerca de 22 milhões de euros e pela Proparco, uma subsidiária da Agence Française de Développement para o sector privado e pelo Emerging Africa Infrastructure Fund através de um empréstimo de 165 milhões de euros e de uma subvenção de 13 milhões de euros.

Uma vez concluída, a central elétrica terá capacidade para gerar 336 GWh de energia por ano, fornecendo apenas 1,7 milhões de pessoas numa base anual. O combustível de biomassa irá necessitar de 450.000 toneladas de resíduos de palma, provenientes principalmente de pequenos agricultores, promovendo assim o sector agrícola e aumentando o rendimento anual de cerca de 12.000 agricultores em 20%. Além disso, a construção da central criará 500 empregos e mais 1.000 postos de trabalho permanentes após a sua conclusão. O projeto visa combater a desflorestação e a agricultura extensiva através da promoção de boas práticas agrícolas e do aumento do rendimento das culturas.

Diz-se que o projeto irá reduzir as emissões de CO₂ em 340.000 TEQ de emissões de CO₂ por ano. A construção da fábrica teve início em Setembro e a sua abertura está prevista para Setembro de 2024.

Central Hidroelétrica de Singrobo

Numa tentativa de diversificar o seu mix energético, o país vai inaugurar em 2023 uma nova central hidroelétrica de 44MW, denominada Singrobo, a sudeste de Yamoussoukro, do outro lado do rio Bandama. O custo total do projeto ascende a 195 milhões de euros e é patrocinado por um consórcio que inclui a IHE Holding, o Banco Africano de Desenvolvimento e a Corporação Alemã de Investimento. A empresa francesa de construção civil Eiffage recebeu o contrato de construção da central elétrica, que inclui a construção de uma barragem mista de rocha e betão com um reservatório de 105 milhões de m3, bem como um canal de descarga, uma linha de 3 km de ligação da central elétrica à rede, um ponto de comutação de 90 kV e estradas de acesso.

Singrobo terá a capacidade de fornecer 217 GWh anuais de energia e reduzirá as emissões de CO₂ em 124.000 toneladas por ano. Quando concluído, o projeto será o primeiro projeto de PIE de energia hidroelétrica da África Ocidental. A produção de energia será vendida ao abrigo de um acordo de compra de energia por 35 anos à Compagnie Ivoirienne d’Électricité.

Central Térmica “CIPREL V” de Atinkou

A central térmica Atinkou “CIPREL V” de 390 MW deverá estar operacional em 2024 e servirá para substituir as centrais da Aggreko (200 MW), Vridi (100 MW) e Ciprel I (99 W), atualmente em dificuldades. A central será alimentada por gás natural e utilizará tecnologia de ciclo combinado, gerando assim energia de forma mais eficiente.

Além disso, a Costa do Marfim pretende impulsionar as exportações de energia com a produção da estação, satisfazendo ao mesmo tempo os requisitos de carga de base do país. A construção faseada permitiu a criação de aproximadamente 800 postos de trabalho e irá criar 75 postos permanentes durante a sua operação. O custo total do projeto está estimado em 404 milhões de euros.

Centrais de Energia Fotovoltaica Scaling Solar

Em 2019, a Costa do Marfim e a Corporação Financeira Internacional (IFC), a filial do sector privado do Banco Mundial, assinaram um acordo para o lançamento da Scaling Solar, uma iniciativa que visa facilitar o investimento privado em projetos de desenvolvimento de energia solar em mercados emergentes. Tendo cada um dos parques solares 60 MW, um destes estará localizado em Laboa, no nordeste do país, e o outro em Touba, no departamento do centro-oeste de Mbacké. Em Junho de 2021, o governo da Costa do Marfim lançou a pré-qualificação para o financiamento, construção e funcionamento de ambas as centrais solares. Os Produtores Independentes de Energia Selecionados serão responsáveis pela construção e operação das centrais por um período de 25 anos. A energia produzida será vendida ao abrigo de um acordo de compra de energia com a Compagnie Ivoirienne d’Électricité.

Other Reads

Other Reads

Damon Biesold

Damon Biesold

Damon Biesold is ECP’s Congo Field Editor, where he produces the country’s first Africa Energy Series report due to be published in early 2022. Damon has experience working in sub-Saharan Africa and writes about the energy sector in the Republic of Congo. He recently obtained his MA in National Security Studies.

More from the Author

Sign up for latest news and event info

Copyright © 2022 Energy Capital & Power. Privacy Policy · Terms of Use